quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Demônios: Os Duques do Inferno

Lillith: Duquesa da Luxúria e Rainha da casta dos Súcubus, demônios do prazer, primeira mulher de Adão e primeira noiva de Lúcifer, governa o segundo círculo. É a única Duquesa que não é um anjo caído, e é um ser único o Inferno, pois foi levado para lá sem estar morta, ganhando seus poderes direto de Lúcifer. Tornou-se Duquesa depois que Asmodeus, antigo governante do segundo reino, tentou causar uma rebelião no Inferno e destituir Lúcifer. Tem a forma de uma linda mulher de pele branca e cabelos ondulados negros, porém pode assumir a forma que quiser.

Baalzebub: Duque da Gula, um dos únicos Duques que não são originários de anjos caídos, era um espírito poderoso cultuado como deus no Oriente Médio, mas foi derrotado pelos anjos e por isso se aliou a Lúcifer, tem a forma do diabo clássico, um homem musculoso, pele avermelhada, chifres, rabo de dragão, asas de morcego e olhos incandescentes. É considerado o segundo ser mais poderoso do Inferno e as vezes tido como rival de Lúcifer, apesar de demonstrar sempre lealdade para com ele. Governa o terceiro círculo.

Mammon: Duque da Avareza, era um serafim responsável pelas construções ricas e ornamentadas do paraíso. Governa o quarto círculo. Tem a forma de um homem velho e careca, de barba branca e porte atlético, mas com unhas afiadas e resistentes como garras, além de não possuir olhos, apenas órbitas vazias. Conhecido por sua crueldade e ira para com insubordinações.

Belphegor: Duque da preguiça, não governa nenhum círculo por sua natureza extremamente preguiçosa, vivendo ao lado de Leviatã num castelo em Dite. Tem a forma de um demônio gordo e asqueroso, com a pele amarela, porém com presas afiadas e asas resistentes de morcego, além de garras e chifres.

Azazel: Duque da Ira, outro serafim guerreiro considerado o braço direito de Lúcifer, governa o quinto círculo. Dizem que não possui forma física definida, embora sempre o associem à um homem forte de pele acinzentada e sempre coberta com um capuz e manto azul, mas também é conhecido como o mestre dos disfarces, assumindo uma forma monstruosa do maior medo de seu inimigo.

Leviatã: Duque da inveja, é o soberano do sexto círculo e da cidade de Dite. Possui três metros de altura mas pode atingir tamanhos colossais, olhos verdes brilhantes e o corpo recoberto por escamas negras reluzentes, além de dentes de tubarão e garras afiadas.

Malebolge: Duque do orgulho, governante do oitavo círculo, que leva seu próprio nome. Considerado o terceiro mais poderoso do Inferno, se considera também governante do sétimo círculo, já que este está sempre em guerra civil e ninguém consegue controlar desde que Abbadon, que tentou uma rebelião junto com Asmodeus, desapareceu. Possui a forma de um homem alto e forte, porém com dentes afiados, pequenas garras, orelhas pontudas, olhos e pele cinzentas e careca.

A Corte Infernal: Junto à Lúcifer, em seu castelo dourado no centro do nono círculo, vive uma corte dos Cecidt, os anjos caídos mais poderosos que o acompanharam. Para eles não foi dado o controle de nenhum reino, porém são tão poderosos e possuem tanta influência no Inferno quanto qualquer Duque. Agem como conselheiros e auxiliares de Lúcifer. São eles Baphometh, Astaroth, Azrael, Baalberith, Belial, Dagon e Samael.


Lúcifer: Também conhecido como Lucibel, o “Portador da Luz”, a estrela da manhã, o mais belo, era um dos arcanjos, mas traiu seus irmãos, desejando ser mais poderoso que seu pai Yaweh, e se rebelou, junto com um terço dos anjos do céu, a maioria membros de sua casta, os Throni. Foi derrotado e lançado em um local esquecido, onda graça de Deus não alcança, chamado Inferno, onde criou seu próprio império. É o líder da casta dos Anjos Caídos, governa a nona província e todo o Inferno de seu colossal castelo dourado, bem no centro do reino. Tem a forma de um belo homem nórdico, de cabelos dourados longos e olhos azuis como o mar de verão. Porém o cabelo esconde o lado direito de seu rosto, permanentemente queimado e desfigurado pela espada de fogo de Miguel, na rebelião celestial.