quarta-feira, 13 de novembro de 2013

O mundo de "Luz da Lua": Introdução aos vampiros

A partir de hoje, irei falar muito mais sobre o universo que desenvolvi, o mundo das trevas onde se passa a aventura de Luz da Lua. Como se tratam de informações extensas e detalhadas, não caberão apenas em um único post, então irei divulgando aos poucos, na medida do possível uma vez por dia, quando meu tempo permitir.
Comecemos então com uma introdução aos vampiros, os maiores antagonistas de Luz da Lua e a maneira como são criados, seus poderes e fraquezas comuns

Introdução
            Os vampiros são as criaturas sobrenaturais mais numerosas, e talvez as mais perigosas do mundo. São pessoas que foram mortas e, através de um ritual grotesco, ressuscitaram e hoje assombram e manipulam o mundo humano através das sombras. Vampiros são seres frios e calculistas, não possuem alma nem sentimentos, e tem o único propósito de se alimentar e se impor sobre os humanos através de qualquer artifício, seja força física ou manipulação.

        Nascimento

            Um vampiro obrigatoriamente nasceu humano. Apesar dos vampiros do sexo masculino terem a capacidade de gerar rebentos em mulheres mortais, chamados dampiros, uma vampira é incapaz de engravidar, seja de outro vampiro ou de um humano. Os vampiros nascem para o mundo das trevas quando um humano tem todo o seu sangue drenado, seja para alimentação ou criação, até o limite entre a vida e a morte. Nesse momento, ele pode ou não ter a escolha de ser transformado. O vampiro então rasga seu corpo, geralmente o pulso ou o peito, e dá seu sangue amaldiçoado para o mortal beber, o suficiente até ele começar a se sentir fraco. A partir desse momento, começa a transformação. É um processo místico e de difícil compreensão, mas basicamente, a fisiologia da pessoa muda muito pouco, com a interrupção imediata do envelhecimento, a criação de presas retráteis no lugar dos dentes caninos, e a mudança na cor da íris dos olhos, que passam de qualquer cor natural para o vermelho intenso.

Poderes

            A partir do momento em que é criado, o vampiro nasce com um poder especial. Esse poder é aleatório, e ninguém consegue explicar qual o critério que a natureza usa para concedê-lo. Um criador pode ter o poder de levitação, por exemplo, enquanto sua cria nascerá com o poder de telepatia. Mas há, ainda, os poderes comuns, concedidos a todas as pessoas que são transformadas em vampiros.
            Vampiros não envelhecem. A partir do momento em que são criados, eles mantêm a mesma aparência física por toda a eternidade, enquanto estiverem vivos e longe da destruição final. Um vampiro pode mudar sua massa corporal, através de treinamento duro ou desleixo total. Mas traços de envelhecimento como rugas, cabelos brancos, corpo encarquilhado e etc., não mudam nem aparecem após a transformação.
            Vampiros são imunes a ferimentos e doenças comuns. Desde o mais inocente resfriado ao câncer mais terrível são inúteis no corpo de um vampiro. De fato, pacientes em estado terminal são muito propensos a aceitarem a transformação para continuarem vivos. Mesmo basicamente sendo criaturas de sangue, as doenças de sangue não os afetam. Pelo menos nenhuma conhecida. E ferimentos que seriam graves a pessoas, se não forem feitos por material especial contra vampiros, são inúteis e indolores. Tiros, facadas, pauladas, afogamento, quedas, atropelamentos e etc. Além disso, eles possuem um fator de cura acelerado, que faz com que, por exemplo, um braço quebrado esteja normal em menos de vinte e quatro horas. A única maneira de matar um vampiro da maneira normal, é através da decapitação. Mas apenas um humano muito forte habilidoso com uma espada comum bem afiada para conseguir cortar a cabeça de um vampiro.
            Vampiros tem constituição física melhorada. Todos eles possuem força, rapidez e resistência acima de um humano comum. Existem, é claro, os poderes especiais que aumentam ainda mais essas habilidades, mas basicamente, um vampiro é capaz de erguer de três a cinco vezes seu próprio peso, mover-se com agilidade e reflexos rápidos e correr ou fazer atividades físicas sem nenhuma fadiga, pois eles não precisam respirar, já que a queima de oxigênio em seu corpo vem do sangue.
            Vampiros podem absorver os poderes de outros vampiros. Essa é uma técnica proibida pelos vampiros milenares há muitos anos, considerada um crime vil, traiçoeiro e covarde, mas praticada pelos vampiros mais inescrupulosos e sedentos de poder. O coração é o centro do poder do vampiro, por ser o órgão central do sistema circulatório, já que todo o poder dos vampiros vem do sangue. Ao abrir a caixa torácica de outro e ingerir seu coração inteiro, um vampiro absorve para si todos os poderes e habilidades do outro, somando com os seus. Porém memórias e conhecimentos não são absorvidos, e poderes especiais precisam de tempo para serem controlados.
            Vampiros possuem presas retráteis. Para facilitar a alimentação, um vampiro possuem em sua boca dois pares de dentes afiados no lugar dos dentes caninos superiores e inferiores, que se alongam ou retraem de acordo com a vontade do vampiro, capazes de furar a pele e carne de qualquer pessoa.

        Fraquezas

            Apesar de terem poderes em comum e alguns diferenciados, as fraquezas de um vampiro são iguais para todos eles. Alguns conseguem diminuí-las de acordo com o acúmulo de poderes especiais, mas nunca podem superá-las totalmente.
            Vampiros queimam na luz do sol. Através de uma maldição conjurada pelos anjos, os raios UV, presentes no sol, fazem a pele de um vampiro pegar fogo instantaneamente ao mínimo contato. O ferimento causado por essa queimadura é místico, e é curado como se fosse uma queimadura de fogo em um mortal, geralmente deixando cicatrizes, que somem após meses ou anos, dependendo do grau.
            Vampiros são alérgicos ao fogo e a prata. Foi dito que tiros, pauladas de todo tipo de ferimento comum são inúteis em um vampiro. Porém uma explosão que tenha chamas é capaz de ferir um vampiro normalmente, e os efeitos são os mesmos da luz do sol. Misticamente, o corpo do vampiro é altamente inflamável, e isso é de conhecimento geral de seus inimigos, por isso armas incendiárias são as mais usadas, junto com as armas de prata. Assim como os lobisomens, seus maiores rivais, o toque de prata no corpo de um vampiro causa uma queimadura e dor insuportáveis, como se também fosse a luz do sol, além de incapacitá-los instantaneamente. Vampiros mais velhos e poderosos podem resistir mais ao toque da prata, mas são igualmente alérgicos à prata melhorada com poderes mágicos. Compostos químicos e ligas metálicas com prata também causam ferimentos aos vampiros.
            Vampiros só se alimentam de sangue. Apesar de ser considerado uma vantagem para alguns, a maioria considera essa dieta exclusiva incomoda, no caso de quererem se mantiver ou se misturar na sociedade. Qualquer outro tipo de alimento ou água é incomodo no estomago de um vampiro, e é vomitado instantaneamente. Por não conseguirem queimar oxigênio com seu sangue amaldiçoado, eles precisam se alimentar com sangue de hemoglobina constantemente. Alguns vampiros mais velhos e poderosos conseguem ficar dias sem precisar se alimentar, mas basicamente os vampiros mais jovens necessitam de pelo menos um litro de sangue por dia. Sangue animal é igualmente nutritivo, mas, ironicamente, o sangue humano é mais delicioso ao paladar de um vampiro. Existem poucos grupos de vampiros que escolhem se alimentar de sangue animal, mas eles são ridicularizados e desprezados pelos outros.
            Vampiros não tem calor corporal. Fisicamente eles são cadáveres. Com exceção do coração, os órgãos internos dos vampiros se atrofiaram e desapareceram, e a sua temperatura corporal é a de um corpo morto, geralmente abaixo dos vinte graus centígrados. A temperatura deles volta ao normal apenas por alguns instantes depois de se alimentarem, e alguns vampiros tem o poder se aumentar a temperatura do corpo para enganarem melhor suas vítimas.